Passado/Presente

a construção da memória no mundo contemporâneo

Abril de novo

Posted by Miguel Cardina em 15-10-2007

O título é algo exagerado: 25 de Abril: Mitos de uma Revolução não pretende explorar o imaginário político e cultural da revolução que Abril abriu. Também não procura – seria outra linha possível, talvez a menos interessante, da «hipótese mitológica» – desmontar ideias-feitas sobre o acontecimento, ou pelo menos não o faz para além daquilo que todo o exercício historiográfico é na sua essência, ou seja, uma revisão crítica das leituras do passado. Sendo «um balanço» (p.19) do conhecimento disponível sobre o 25 de Abril, recorrendo a várias fontes e à ampla bibliografia, nomeadamente de teor memorialístico, já existente, a obra de Maria Inácia Rezola distingue-se pela capacidade de estruturar uma narrativa rente aos factos que consegue, com particular mestria, ir apontando constantemente grelhas interpretativas que vão iluminando os principais momentos do período revolucionário. Nesta medida, estamos perante um texto de evidente alcance pedagógico e uma das poucas sínteses consistentes e desapaixonadas sobre o biénio de 1974-1976. Uma revisão deficiente e a omissão de uma bibliografia final anunciada (p.373), não chegam para ofuscar a importância desta obra: uma porta para conhecer essa história muito evocada mas ainda repleta de discursos sinuosos e contraditórios.

Maria Inácia Rezola (2007), 25 de Abril. Mitos de uma Revolução. Lisboa: A Esfera dos Livros [ISBN 978-989-626-054-5]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: